Exposição no Museu Histórico da Cidade Apresenta: perspectiva de Oskar Metsavaht sobre o Cristo Redentor

 

Museu Historico da Cidade
Foto: Museu Histórico da Cidade

Oskar Metsavaht mostra através de fotos, pinturas e videoinstalações seu olhar artístico sobre o Cristo Redentor em exposição que marcou a reabertura do Museu Histórico da Cidade, no Rio de Janeiro. A mostra é resultado de uma pesquisa artística, arquitetônica e conceitual sobre o monumento. Oskar, que já trabalhou outros símbolos bastante conhecidos como: o calçadão de Ipanema, a tribo indígena Ashaninka e o Centro de Arte Contemporânea Inhotim,  da uma leitura contemporânea para um dos monumentos mais conhecidos mundo.

  “Tive total liberdade de criação para compor cada obra, o que me permitiu percorrer caminhos diversos. Inspirado em sua arquitetura, sua pioneira construção e em sua simbologia espiritual e religiosa.  A estátua, um dos primeiros monumentos de concreto armado realizados com esta técnica, definiu parte de nossa arquitetura modernista nas décadas seguintes. Também pesquisei a interpretação da imagem do Cristo pelos artistas góticos e renascentistas”, resume Oskar.

A exposição também revela curiosidades desconhecidas do grande público, como o fato de a construção do Cristo Redentor ter sido um projeto precursor do crowdfunding. Em 1921, a Igreja conclamou paróquias, devotos e cariocas das mais variadas classes para fazerem doações e, assim, arrecadou a verba necessária para colocar de pé o grandioso projeto.

Segundo o reitor do Santuário Cristo Redentor, Padre Omar Raposo, a exposição vai unir espiritualidade e cultura. “Essa exposição quer evidenciar os valores espirituais intrínsecos em nosso símbolo maior, o monumento Cristo Redentor”, destaca Padre Omar.

Criado em 1934 pelo então prefeito Pedro Ernesto, o Museu Histórico da Cidade do Rio de Janeiro tinha o objetivo de abrigar objetos representativos que interessavam à história da cidade. Sua primeira sede foi o Palácio da Prefeitura, na Praça da República, mas depois ele foi transferido para o Parque da Cidade. O MHCRJ realizou exposições, pesquisas e uma ativa programação educativa e cultural até que fechou para novas obras de restauração, iniciadas em 2010.

O Museu conta com um acervo de aproximadamente 24 mil peças entre fotografias, aquarelas, gravuras e litogravuras – a maior coleção dentre os museus que o município administra. Também será lançado o site do MHCRJ em três idiomas, (português, inglês e espanhol), de início ele permitirá a exposição virtual de aproximadamente 200 peças, além da história da construção do Conjunto Arquitetônico e do Parque da Cidade.

O visitante já poderá consultar o acervo através de tablets oferecidos pela administração.  Nela haverá também uma linha do tempo ilustrada com o acervo. A capela de São João Batista também será reaberta para visitação pública.

SERVIÇO

Exposição: Divina Geometria – Cristo Redentor por Oskar Metsavaht

Local: Museu Histórico da Cidade (Estrada Santa Marinha, s/n, Parque da Cidade – Gávea)

Período: 17 de julho a 2 de outubro de 2016.

Horário: 3ª feira a Domingo, das 10h as 17h

Entrada: Gratuita

 redacao@basedenoticias.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *