STF abre novo inquérito contra Aécio Neves por lavagem de dinheiro

 Foto:Nelson Jr./SCO/STF
Foto:Nelson Jr./SCO/STF

A PGR deve apurar suposto recebimento pelo senador afastado de mais de R$ 60 milhões em propina, por meio de notas fiscais frias da JBS. Segundo a defesa a investigação irá comprovar a inocência do seu cliente. Será? “A investigação demonstrará que não se pode falar em lavagem ou propina, pois trata-se de dinheiro de origem lícita numa operação entre privados, portanto sem envolver recurso público ou qualquer contrapartida. Assim, não houve crime”, diz a nota.

Na primeira denuncia, a procuradoria acusa o senador afastado de solicitar R$ 2 milhões ao empresário Joesley Batista, um dos delatores da JBS. Sobre a acusação de obstrução da Justiça, Janot sustenta que o senador afastado tentou embaraçar as investigações da Operação Lava Jato.

fonte: Agência Brasil

e-mail: marlonpablo@basedenoticias.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *