Substância é capaz de anular o câncer

licopeno industrializado

Arte: Divulgação

Licopeno. Quem já ouviu falar nesta substância? Pois se não atentou, comece desde já a se aprofundar em tudo que se diz respeito a ela. Pode parecer insistência  mas procure promover também a ingestão regular da mesma. O licopeno é um antioxidante que se apresenta na cor vermelha de muitos alimentos. Sua função quando absorvido pelo organismo se torna uma arma poderosa no combate aos danos causados pelos radicais livres nas células. Esta substância circula em nosso sangue através de lipoproteínas, sendo conduzida pelo LDL. No corpo humano o licopeno fica abrigado no fígado e também no tecido adiposo. Estudos comprovam que o consumo da substância de maneira regular auxilia na queda das probabilidades do homem desenvolver o câncer de próstata e o câncer pulmonar nas pessoas.

Como os radicais livres são combatidos pelo licopeno, convém comentar o assunto. Os radicais livres surgem ao longo das plenas funções normais do nosso corpo, como atividades físicas e a respiração. Por sua vez são produzidos também com o tabagismo, o excesso de exposição ao sol, o estresse e a poluição do ar. Para o nosso bem os radicais livres são bastante reativos, fazendo assim que haja um controle de sua disseminação, do contrário danificariam as moléculas das células saudáveis do corpo humano, e, automaticamente, o surgimento de enfermidades como as doenças do coração e o câncer.

melancia, goiaba, tomate e acerola

Foto: Divulgação

Fontes de licopeno

O tomate é tido como o campeão em fornecer o licopeno ao ser humano, porém em outros alimentos avermelhados como a goiaba, a melancia, a acerola e o morango, a substância também é encontrada.Dotado de pouca caloria o tomate tem bom efeito antioxidante. Então quanto mais regular for a ingestão das fontes de licopeno menor será a probabilidade de nossas células adoecerem. No entanto especialistas alertam que o tomate libera mais licopeno quando este for ingerido de forma cozida, isto porque após a fervura acontece uma rotura nas paredes celulares da fruta melhorando assim o contato com a mucosa intestinal. Já as demais frutas fornecem menos a substância ao nosso corpo, e por serem biodisponíveis podem ser consumidas em sua forma crua. Vale ressaltar que existem também a forma industrializada de licopeno comercializada em drágeas.

pedroresende@basedenoticias.com.br

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *