TRF4 condena o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva

Lula teve sua pena aumentada em mais três anos passando de nove para doze anos de prisão

A 8ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) condenou por unanimidade o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, passando a pena de nove anos e seis meses para 12 anos e um mês de reclusão em regime fechado e pagamento de 280 dias-multa (com valor unitário de cinco salários mínimos). Esta foi a 24ª apelação criminal julgada pelo tribunal contra sentenças proferidas em ações oriundas da Operação Lava Jato.

 Assistindo atentamente ao julgamento observa-se que a justiça inaugurou um novo capítulo. A presunção da inocência não existe mais no Brasil. A sentença se baseia apenas na palavra de Léo Pinheiro, que é co-réu e não precisa falar a verdade. Durante toda a leitura de sentença o relator desembargador federal João Pedro Gebran Neto, baseou-se em suposições, “Uma espécie de eu acho”. Algumas profissões como Jornalismo e Direito trabalham com fatos, caso não os tenha, você não pode sair fazendo, dizendo e condenando uma pessoa para satisfazer seu ego.

 Último a falar, o advogado do ex-presidente Lula, Cristiano Zanin Martins, pediu a absolvição de seu cliente. “É necessário haver a prova, o nexo da função pública com a vantagem recebida. Criticou que a sentença fala em atos de ofício indeterminados. “Não houve o recebimento de vantagem  indevida. “O presidente Lula não é o proprietário do triplex, jamais recebeu as chaves ou passou um dia”, ressaltou.

 Em relação ao ex-presidente do Instituto Lula, Paulo Tarciso Okamotto, que foi absolvido do crime de lavagem de dinheiro em primeira instância, no caso do acervo presidencial, a 8ª Turma manteve a sentença, negando o pedido de alteração do fundamento legal da absolvição. Ele requeria que constasse “não existir prova de que o réu tenha concorrido para a infração penal” e não a falta de provas suficientes.

e-mail: marlonpablo@basedenoticias.com.br 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *